A vida que ninguém vê

12/12/2008

O espírito natalino

Filed under: Crônicas — Karina Ribeiro @ 12:50
Tags: , ,

Em meados de novembro e dezembro tenho a sensação que a cidade fica mais colorida, o trabalho fica mais leve, as pessoas se preparam para as festas de fim de ano da empresa, com a família, organizam trocas de presentes com o tal do amigo secreto, programam suas férias, planejam viagens. Em geral, parece que as pessoas ficam mais alegres, solidárias, otimistas.

Quando eu era criança, esperava ansiosa por esta época do ano. Costumava visitar lugares conhecidos por suas belíssimas decorações natalinas. Lembro-me que no Jardim França, bairro nobre da zona norte de São Paulo, havia uma casa mais enfeitada que a outra.  Parecia que os moradores participavam de alguma competição. A cada ano uma novidade diferente: papai-noel escalando a chaminé, renas iluminadas no quintal, cascata de lâmpadas iluminando toda a casa.

Na minha rua, nos fins de tarde, os mais velhos colocavam suas cadeiras na calçada e ficavam sentados observando toda a movimentação dos vizinhos que decoravam suas casas com árvores e luzinhas de Natal, enquanto eu e outras crianças brincávamos, até tarde, de pique – esconde e corre – corre.

Desde aqueles dias não passou tanto tempo, mas o suficiente para mudar muitos daqueles costumes. Hoje, não moro mais naquela rua. Há quatro anos, devido a três assaltos consecutivos, eu e minha família nos mudamos para um desses condomínios fechado no pico da Serra da Cantareira, onde ninguém conhece ninguém.

No final do ano passado voltei a minha antiga casa. A rua estava vazia. Meus vizinhos, àqueles que sentavam na calçada, já não têm mais esse hábito. Assim como a idade chega para todos, nos dias de hoje, parece que a violência também. Por isso, as crianças não brincam mais na rua. E por conta dos roubos que ocorreram nos últimos anos, de adereços natalinos, as casas já não são mais enfeitadas.

Naquele bairro famoso, Jardim França, nem parecia Natal. Os moradores foram orientados pelos seguranças a não decorarem mais suas casas como antigamente. A cada Natal, as ruas iluminadas aumentavam os números de visitantes e de carros roubados no bairro. De repente, o Natal perdeu a cor.

Já estamos em novembro e posso observar as ruas cheias, assim como as lojas e os estacionamentos. O trânsito é intenso, assim como as atividades no trabalho. O corre – corre não é mais brincadeira. A festa de final de ano da empresa parece à oportunidade ideal para lamentar com os colegas as férias adiadas, o salário congelado e as crescentes responsabilidades atribuídas na sua carga horária de 24 h por dia no trabalho.

O amigo secreto virou amigo da onça e o Natal transformou-se somente em mais uma data para alavancar as vendas no mercado. Na minha cabeça fica uma dúvida. Será que todas essas coisas tenham realmente mudado ou só foi eu que cresci?

 

Natal

Esperança alimenta o espírito do Natal

Anúncios

1 Comentário »

  1. Nossa quando eu era criança eu fazia a mesma coisa, esperava o horario e a epoca para poder sair em caminhada com o pessoal da praça, ir ver as casas todas enfeitadas, um sonho que nunca mais verei…

    Comentário por Zanny — 18/12/2011 @ 00:33 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: